top of page
Buscar

PAPEL DO MONOSSIALOGANGLIOSÍDEO SÓDICO NA NEUROPATIA DIABÉTICA - PARTE I


As neuropatias diabéticas são distúrbios que prejudicam o sistema nervoso periférico. Esses distúrbios podem ter inúmeras causas e são frequentemente apresentados de diversas formas. Estima-se que 6% a 51% de todos os adultos diabéticos sofrem desse transtorno, estando de acordo com variáveis ​​como idade, glicemia e as diferenças entre diabetes tipo 1 e tipo 2. Complicações mais severas podem se desenvolver em cerca de 50% desses pacientes e causar morbidade significativa, como dor, úlceras de pé diabético e, em casos mais avançados, a amputação de membros inferiores.


As manifestações clínicas são muitas vezes variáveis, pois os pacientes podem apresentar sintomas neuropáticos extremamente dolorosos ou permanecer aparentemente assintomáticos. Logo, é importante que tais pacientes recebam acompanhamento médico contínuo devido ao risco de desenvolvimento de úlceras diabéticas e demais complicações. Embora as neuropatias diabéticas possam se manifestar em indivíduos não-diabéticos, as estratégias de manejo desse distúrbio em indivíduos diabéticos geralmente são mais desafiadoras, pois existem abordagens secundárias que devem ser implementadas, especialmente o controle glicêmico. De acordo com a American Diabetes Association, o controle da dor e os ajustes no estilo de vida do paciente ainda são considerados uma abordagem indispensável independentemente do tratamento implementado.


Mais recentemente, o papel biológico dos gangliosídeos como ferramenta terapêutica atraiu atenção dos neurologistas. Essas moléculas são naturalmente encontradas em grandes quantidades no sistema nervoso de mamíferos, desempenhando funções essenciais como sinalização, diferenciação, morte celular, controle de memória, proteção e recuperação de neurônios. Essas moléculas também funcionam como “âncoras biológicas” para várias toxinas bacterianas, vírus e autoanticorpos.


Referências

Hicks CW, Selvin E (2019) Epidemiology of Peripheral Neuropathy and Lower Extremity Disease in Diabetes. Curr Diab Rep 19:86. https://doi.org/10.1007/s11892-019-1212-8.

Pop-Busui R, Boulton AJM, Feldman EL, et al (2017) Diabetic Neuropathy: A Position Statement by the American Diabetes Association. Diabetes Care 40:136–154. https://doi.org/10.2337/dc16-2042.

Kommentare


bottom of page